Skip to main content
Florestal Santa Maria

Bunge aposta na área de crédito de carbono

Por 2 de julho de 2012agosto 7th, 2021Sem comentários

A Bunge, multinacional de agronegócios com sede nos Estados Unidos, anuncia hoje, na véspera da Rio + 20, um projeto de geração de crédito de carbono em parceria com a Florestal Santa Maria. A empresa da área de manejo florestal se compromete a preservar 70 mil hectares próprios de floresta nativa no norte de Mato Grosso, Estado onde tem sua sede, em troca da venda parcial de créditos de carbono para a Bunge Environmental Markets, divisão da múlti.

A comercialização será feita por meio do mercado voluntário – negociações realizadas por empresas que não possuem metas de redução de gases de efeito estufa sob o Protocolo de Kyoto -, cujos preços oscilam entre dez centavos de dólar por tonelada e US$ 10 por tonelada.

Conforme Adalgiso Telles, diretor de assuntos corporativos e sustentabilidade da Bunge Brasil, o projeto baseado na redução de emissões por desmatamento e degradação (REDD, na sigla em inglês) – desmatamento evitado – terá a duração de 30 anos e impedirá a emissão de 30 milhões de toneladas de CO2. Ele não revela a quantidade de créditos que a Bunge se propôs a adquirir no acordo, mas reforça que a companhia se incumbiu de implantar o programa conforme as exigências do mercado voluntário de carbono (VCS – Verified Carbon Standard).

“Os negócios já começaram a ser feitos antes mesmo da geração dos créditos”, informa Telles. Em 2011, os projetos da Bunge no país nesta área possibilitaram a comercialização de créditos de 350 mil toneladas de CO2, acima das emissões de suas atividades, que geraram 292 mil toneladas de carbono.

Fonte: http://www.cogen.com.br/noticia.asp?id_noticia=10288